icone-de-lupa
BUSCA
EdSocioSoluCurricular

Educação Socioemocional: uma abordagem curricular ou extracurricular?

Edição Guia escolas

Ao regulamentar a obrigatoriedade de a Educação Socioemocial ser ensinada também nas escolas, a partir de 2020, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), por intermédio de um documento de caráter normativo, revela o que estava velado e estabelece conhecimentos, competências e habilidades que devem ser desenvolvidos por todos os estudantes ao longo da escolaridade básica. Somam-se a isso, os propósitos que direcionam a educação brasileira para a formação humana integral e para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Neste sentido, a Educação Socioemocional não pode ser entendida ou praticada como atividade extracurricular, esta, frequentemente, tida como algo opcional e desnecessário. Segundo a especialista Dra. Pamela Bruening, dos Estados Unidos, a quantidade de pesquisas que apoiam a Educação Socioemocional e seu impacto no desempenho acadêmico e na cultura escolar tornou comum a integração do desenvolvimento das habilidades socioemocionais aos currículos escolares, dando à Educação Socioemocional seu merecido lugar de importância na educação.

O CASEL (Collaborative for Academic, Social, and Emotional Learning), que tem a missão de ajudar a tornar a aprendizagem socioemocional, baseada em evidências, em uma parte integrante da educação básica, divulgou pesquisas de desempenho de implementação delineando os passos iniciais que os distritos escolares (grupo de escolas por região nos Estados Unidos) deveriam tomar na implementação de uma abordagem sistêmica para a Educação Socioemocional em toda a escola e em salas de aula individuais.

Segundo o levantamento, atividades e projetos feitos nas salas de aula relacionam os alunos com as habilidades socioemocionais. Desta forma, as habilidades socioemocionais podem ser ensinadas em todas as áreas do conhecimento – linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas, jogos e brincadeiras.

Trabalhar as relações sociais e emocionais durante todo os dias do ano letivo, por meio dos currículos escolares e apoio ao comportamento positivo em toda a escola, faz a Educação Socioemocional ser parte integrante da vida de todos os alunos, comunidade escolar e famílias.

Assim, com as novas diretrizes da BNCC, características ou valores como solidariedade, amizade, responsabilidade, colaboração, empatia, organização, ética, cidadania e honestidade, entre outros, tão desejáveis nos relacionamentos humanos e cada vez mais valorizados e necessários nos dias de hoje, passarão a ser ensinados, praticados ou pelo menos estimulados de maneira oficial e programática nas escolas brasileiras.

Para saber mais sobre Educação Socioemocional e o Nuvem9Brasil, acesse www.nuvem9brasil.com.br.

Publicação:

Sobre o autor

Vagner Apinhanesi

Jornalista na Editora Educacional.

Categorias

Mais lidos

  • shutterstock_12780167(1200)

    Problemas de aprendizagem: Estudo revela que alunos acumulam defasagem durante o Ensino Fundamental

    Edição Guia Escolas
  • Ausencia - celio

    Ausência nas aulas e justificativas: como a escola deve agir?

    Edição Guia Escolas
  • hwr - sustentabilidade

    Tradicional, Renovada, Freiriana, Montessori, Freinet, Piaget, Rudolf Steiner, Vigotsky? Edimara de Lima*

    Edição Guia Escolas

MENSAGEM ENVIADA COM SUCESSO!

Agradecemos seu contato, responderemos em breve.

×