icone-de-lupa
BUSCA
humboldt - ensdino hibirido

Ensino híbrido: Colégio Humboldt fortalece formação docente para atender demanda da educação digital

Edição Guia escolas

No último dia 14, a Prefeitura de São Paulo liberou a reabertura de escolas na capital em 1º de fevereiro com 35% dos alunos, notícia que continua consolidando a fusão entre o aprendizado presencial e o virtual. O cenário atípico do fechamento das escolas em 2020 exigiu um novo planejamento de gestores e acelerou uma demanda latente: a reestruturação dos modelos educacionais.

O Colégio Humboldt – instituição bilíngue e multicultural (português e alemão) localizada no bairro de Interlagos, na capital paulista, já vinha trabalhando com o conceito de ensino híbrido há dois anos, perseguindo a necessidade de mudança e de disrupção dentro da educação, implementando diversas estratégias diferentes que foram essenciais para o sucesso do modelo de educação remota que vem sendo adotado durante a pandemia.

Desde 2018, o colégio vem investindo em metodologias ativas e recursos digitais para se adaptar ao ensino híbrido, com a Suite do Google For Education com professores e alunos conectados via Google Classroom.

“Adotamos esses recursos previamente e já vínhamos capacitando nosso corpo docente de forma contínua e com a pandemia, o que precisaríamos implementar, já tínhamos, mas não era utilizado. E com isso, conseguimos ‘saltar’ com os professores”, avalia o vice-diretor do Colégio Humboldt, Erik Hörner.

O projeto tomou corpo e proporção com a ampliação de uso e domínio discente das ferramentas e a partir do início do ano letivo de 2020, as turmas do 8º ano do Ensino Fundamental II à 2ª série do Ensino Médio utilizam um Chromebook por aluno. Além disso, a instituição investe constantemente na formação de docentes. Em julho e setembro de 2020, as jornadas de capacitação foram sobre ensino híbrido e também sobre estratégias de aulas com aplicação digital. Em 2021, o programa começou em janeiro e vai até o mês de abril com alguns sábados de trabalho.

“A formação vai conciliar teoria e prática, focando no Planejamento Reverso e combinará aspectos da metodologia japonesa Lesson Study, uma estratégia centenária de formação de professores no Japão”, diz o vice-diretor do Humboldt.

No momento pandêmico, o modelo híbrido de ensino-aprendizagem ganhou força e o Colégio Humboldt se preparou no mês de julho para que em setembro pudessem ter aulas presenciais e aplicar ferramentas híbridas para alunos que ficariam em casa, quando naquele momento, as aulas voltariam a ser presenciais, mas foram canceladas pelas autoridades.

“No caso do Humboldt, com toda essa caminhada que já tínhamos construído anteriormente com as novas tecnologias, facilitou alguns aspectos: nos deu suporte para que o ensino remoto se constituísse dentro de um modelo específico”, constata Hörner.

Hibridismo no Humboldt
Hörner explica que o hibridismo implica em combinar ou misturar, em doses variadas, cada ingrediente de metodologias ativas, recursos digitais, ensino presencial e remoto, com foco em uma aprendizagem mais efetiva e significativa.

O modelo de ensino híbrido seguido pelo Colégio Humboldt é em formato de um plano semanal de estudos, distribuído em, aproximadamente, 2/3 assíncrono, com apoio docente, 1/3 síncrono com videoconferências. “O aluno consegue desenvolver esse plano em aula presencial e em casa também. É o planejamento que dá sentido para o ensino híbrido”, diz o vice-diretor do Colégio Humboldt. Agora, com a retomada das aulas presenciais, o colégio pretende manter o método, aperfeiçoando-o.

“Para o retorno presencial, nossa aposta é no fortalecimento das ações socioemocionais, com acolhimento dos alunos e foco na atenção da autonomia do estudo, que é o ponto forte do colégio”, afirma Hörner. “Também, teremos de seguir com os estudos em casa e o aluno precisa estar munido de ferramentas intelectuais individuais. Não é autodidatismo, mas sim, um estudo autônomo orientado à distância. Nesse sentido, o ensino híbrido vem a se somar com o estudo individual do aluno”, completa o vice-diretor do colégio.

Para Hörner, o Colégio Humboldt já se adaptou a essa nova rotina. “Do ponto de vista do que precisa ser feito, estamos preparados e adaptados. Temos professores qualificados para o trabalho remoto e o número de professores com dificuldades em tecnologia caiu, além de estarmos equipados”, finaliza.

Para saber mais sobre o Colégio Humboldt, acesse http://bit.ly/2HnBODM.

Publicação:

Sobre o autor

Vagner Apinhanesi

Jornalista na Editora Educacional.

Categorias

Mais lidos

  • Ausencia - celio

    Ausência nas aulas e justificativas: como a escola deve agir?

    Edição Guia Escolas
  • shutterstock_12780167(1200)

    Problemas de aprendizagem: Estudo revela que alunos acumulam defasagem durante o Ensino Fundamental

    Edição Guia Escolas
  • Habilidades

    O que é educação socioemocional?

    Edição Guia Escolas

MENSAGEM ENVIADA COM SUCESSO!

Agradecemos seu contato, responderemos em breve.

×