icone-de-lupa
BUSCA
pio 12 - recreio

Intervalo sem celular: projeto estimula trabalho em equipe no Colégio Franciscano Pio XII

Edição Guia escolas

O que fazer quando as crianças não sabem mais brincar?. Esta é uma dúvida frequente entre pais e professores que, preocupados com o domínio digital, não sabem como encorajar as brincadeiras longe das telinhas. A utilização de aparelhos celulares para acesso à internet ou jogos virtuais é cada vez maior entre os jovens, causando preocupações em torno do uso abusivo dos mesmos.

Segundo a pesquisa TIC Kids On-line, realizada em 2017 pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic), mais de 85% dos jovens entre 9 e 17 anos nas áreas urbanas estão conectados por meio de smartphones. Para reverter essa situação e tentar afastar os jovens da telinha por um tempo, alguns colégios já desenvolveram projetos que incentivam as brincadeiras e colocam os jovens em movimento.

“Falar em brincar nos remete ao desenvolvimento como um todo: o motor, o emocional e o cognitivo, aspectos que constituem a pessoa criança”, afirma a coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental I do Colégio Franciscano Pio XII, Rosimeire Vicente. Lá, é realizado o “Recreio e Movimento”, nos quais os alunos têm opções de atividades e campeonatos internos com bola, como futebol, vôlei, basquete etc.

De acordo com a coordenadora disciplinar da instituição, Maria Teresa Morales, grande parte dos alunos se interessa em participar dos jogos, que são organizados e supervisionados pela própria escola. “As atividades são feitas com regras, mas sem competitividade. Nosso principal objetivo é estimular a recreação e o trabalho em equipe, com supervisores aptos para mediar os conflitos que possam surgir”, comenta Maria Teresa.

Para ela, além de fazer os alunos deixarem as telinhas de lado por um tempo, esse projeto favorece o desenvolvimento de autonomia e companheirismo. “Não é o jogar pelo jogar, e sim ensinar a atitude, a convivência em grupo, o respeito pelo colega, a importância do coletivo, da partilha e da espera. Eles estabelecem interações interessantes de respeito no convívio social, ampliando amizades, além de otimizarem o recreio com a prática de exercícios”, diz a coordenadora disciplinar do Colégio Franciscano Pio XII.

Assim, apesar do domínio digital, as brincadeiras e jogos interativos seguem essenciais para um crescimento físico e emocional saudável. Por isso, incentivar essas atividades é responsabilidade não só dos pais, mas principalmente das escolas.

“O brincar é extremamente importante nesta fase da vida e, às vezes, os alunos ficam tão presos às redes que se esquecem de interagir, correr, realizar as atividades relacionadas à infância, que são tão necessárias para um desenvolvimento saudável”, finaliza Maria Teresa.

Para saber mais sobre o Colégio Franciscano Pio XII, acesse https://goo.gl/pAeTNB.

Publicação:

Sobre o autor

Vagner Apinhanesi

Jornalista na Editora Educacional.

Categorias

Mais lidos

  • shutterstock_12780167(1200)

    Problemas de aprendizagem: Estudo revela que alunos acumulam defasagem durante o Ensino Fundamental

    Edição Guia Escolas
  • Ausencia - celio

    Ausência nas aulas e justificativas: como a escola deve agir?

    Edição Guia Escolas
  • hwr - sustentabilidade

    Tradicional, Renovada, Freiriana, Montessori, Freinet, Piaget, Rudolf Steiner, Vigotsky? Edimara de Lima*

    Edição Guia Escolas

MENSAGEM ENVIADA COM SUCESSO!

Agradecemos seu contato, responderemos em breve.

×