icone-de-lupa
BUSCA
dante - biotecnologia

Maternal I do Colégio Dante Alighieri participa de atividades no laboratório de Biotecnologia

Edição Guia escolas

O novo Laboratório de Biotecnologia do Colégio Dante Alighieri, inaugurado este ano, já havia inovado com uma disciplina eletiva para estudantes do Ensino Médio que alia gastronomia e ciências. Agora, no mês de junho, o espaço recebeu todas as turmas do Maternal I para uma sequência de atividades especiais, divididas em três semanas, para que as crianças aprendessem de onde vem o leite e como são feitos os seus derivados.

A iniciativa partiu das professoras Nilce de Angelo, responsável pelo laboratório; e Marina Farina, professora regente do Maternal I – D. “É importante eles saberem que o leite, tão usado em casa, vem da vaca, como é feito o queijo e o iogurte. É uma atividade muito especial, que preparamos com todo o carinho. Na primeira aula, tivemos três estações: uma minibiblioteca com livros sobre bichos da fazenda, bonecos de animais, com muitas vaquinhas, e as vacas de papelão feitas pelos próprios alunos, nas quais colocamos leite artificial, para que eles pudessem ter uma experiência de ordenha”, explica Nilce.

Na segunda aula, as crianças prepararam um queijo minas frescal desde o início, vendo como o leite pode se transformar em outros produtos, assim como fazem os colegas mais velhos na eletiva. E, na terceira e última aula, os pequenos se reuniram para um grande lanche coletivo, ocasião em que puderam degustar o queijo que fizeram, além de outros derivados do leite. “Tomamos o cuidado de trazer alimentos sem lactose também, para as crianças que têm intolerância”, comenta a professora Nilce. Todas as salas de Maternal I participaram, totalizando onze turmas e 148 crianças.

De acordo com a professora Marina, a ideia do projeto foi fazer uma parceria para unir os dois departamentos (Educação Infantil e Biotecnologia), pegando a Festa Junina como gancho, com os animais da fazenda. A ideia de fazer o queijo partiu da professora Nilce, e ambas as professoras pensaram em uma dinâmica que tivesse a ver com a faixa etária das crianças, que as envolvesse e atingisse seu interesse. Primeiramente, os alunos tiraram leite da vaca, que não era real, mas foi construída por elas. Depois foram servidos leite e queijo, pois a experiência olfativa e gustativa faz parte do processo de aprendizagem.

“Os alunos puderam desenvolver várias habilidades com esse projeto, pois trabalhamos com muitas linguagens diferentes: visuais, artísticas, orais, competências manuais. É uma multidisciplinaridade. Além disso, o Laboratório de Biotecnologia é um espaço novo muito interessante que o Dante proporciona para os alunos, e queremos mostrar para os pequenos que a escola é inteira deles, aproveitando todos os recursos, porque eles têm que se apropriar da escola”, comenta a professora Marina.

Segundo a coordenadora-pedagógica assistente da Educação Infantil e do 1º ano do Ensino Fundamental do Colégio Dante Alighieri, professora Vivian Vitasovic, a atividade contou com um movimento que surgiu naturalmente, com o interesse das crianças sobre os animais e os alimentos, conversando com o que os alunos trazem de demanda, de curiosidade, o que querem descobrir, saber e conhecer.

“As crianças são encantadas com os processos de transformação, então para elas é muito interessante a transformação do leite em queijo, entendendo como isso acontece. O Laboratório de Biotecnologia conversou perfeitamente com essa demanda, com uma abertura muito grande da professora Nilce e um planejamento cuidadoso para a atividade”, afirmou Vivian. “Aqui em São Paulo vivemos em uma realidade em que as crianças não têm tanto contato com esse universo rural, mas pudemos criar um ambiente para que tivessem essa experiência, entendessem onde vive a vaquinha, como ela produz o leite, e vivenciassem a parte sensorial de tirar leite, o mais próximo possível da realidade de uma fazenda. Elas vão entender que o leite não vem da caixinha do supermercado ao conhecer todo o processo por trás. Ter contato com tudo isso desde pequena garante que a criança avance para as próximas séries com um espírito investigativo incentivado, aguçado. A criança não vai esperar por respostas prontas, vai pesquisar, explorar e estudar para descobrir. Os alunos são pequenos, mas já fizeram questões pertinentes, estavam engajados e envolvidos em todas as aulas”, conclui a coordenadora-pedagógica assistente da Educação Infantil e do 1º ano do Ensino Fundamental.

Para saber mais sobre o Colégio Dante Alighieri, acesse http://bit.ly/2JxPjCR.

Publicação:

Sobre o autor

Vagner Apinhanesi

Jornalista na Editora Educacional.

Categorias

Mais lidos

  • shutterstock_12780167(1200)

    Problemas de aprendizagem: Estudo revela que alunos acumulam defasagem durante o Ensino Fundamental

    Edição Guia Escolas
  • Ausencia - celio

    Ausência nas aulas e justificativas: como a escola deve agir?

    Edição Guia Escolas
  • hwr - sustentabilidade

    Tradicional, Renovada, Freiriana, Montessori, Freinet, Piaget, Rudolf Steiner, Vigotsky? Edimara de Lima*

    Edição Guia Escolas

MENSAGEM ENVIADA COM SUCESSO!

Agradecemos seu contato, responderemos em breve.

×